O desfralde

O desfralde do Enzo foi super tranquilo! Na verdade acho que nosso maior acerto nesse processo foi esperar o tempo dele! Pouco antes do Enzo completar 2 anos eu fiquei na dúvida se não era o momento de tirar a fralda. Achei que ele já dava alguns sinais! Mas conversei com a coordenadora pedagógica da escola e ela me mandou um questionário que me ajudou muito! Não tenho mais as perguntas que recebi, mas achei essas no Babycenter Brasil que são parecidas:

Sinais físicos
Anda com firmeza, e até consegue correr.
Faz bastante xixi de cada vez (e não de pouquinho em pouquinho).
Faz um cocô razoavelmente sólido, em horários mais ou menos previsíveis.
Fica “seco” por pelo menos três ou quatro horas, ou seja, os músculos da bexiga conseguem segurar a urina.

Sinais de comportamento
Consegue ficar sentado na mesma posição por entre dois e cinco minutos.
Consegue abaixar e levantar as calças.
Fica incomodado quando a fralda está suja ou molhada.
Demonstra interesse nos hábitos de higiene (gosta de observar os outros irem ao banheiro ou quer usar cueca ou calcinha).
Não demonstra resistência à idéia de usar o penico ou a privada.
Está numa fase em que gosta de colaborar, e não numa fase “do contra”.

Sinais cognitivos
Consegue seguir instruções simples, como “vá pegar aquele brinquedo”.
Entende que cada coisa tem o seu lugar.
Tem palavras para xixi e cocô.
Entende os sinais físicos de que está com vontade de ir ao banheiro, e consegue pedir para ir (ou até segurar a vontade um pouco).

Bom, quando vi que tinha mais respostas “não” do que respostas “sim” percebi que aquele não era o momento e desencanei. Alguns meses depois (o Enzo ja estava com 2 anos e 2 meses) achei que era hora de rever o questionário. Confesso que ainda estava insegura: com a Sophia ainda pequenininha me arrepiava a idéia de ter que lidar com xixis e cocôs pela casa. De qualquer forma, resolvi marcar uma reunião na escola para conversar sobre o assunto novamente.

Era sexta-feira e no caminho comentei com o Enzo que iria conversar com a Ale sobre o desfralde dele. Ele ficou super animado e contou para todo mundo, dizendo, em linguagem de índio (pausa para ataque de fofurice): “Mamãe conversar Ale para Enzo usar cuequinha” kkkk. Bom, pelo visto já era um caminho sem volta… meu pequeno já estava entusiasmado com a idéia de usar cuecas. Ale me apoiou e me encorajou a dar início ao processo e saí de la preparada psicologicamente para começar naquele final de semana.

O programa daquela noite foi comprar cuequinhas bacanas no shopping, já que a Ale havia me orientado de que quando uma criança começa o desfralde eles fazem um “oba oba”, contando a novidade para os amigos e mostrando as cuequinhas (ou calcinhas). Compramos: relâmpago mcqueen, ben10 e algumas mais básicas. Foi o máximo e ajudou a aumentar a expectativa do baixinho.

Sábado de manhã sentamos os 3 na sala e conversamos seriamente:
– Enzo, a partir de agora você não usará mais fraldas. Você entende o que isso quer dizer?
– Sim.
E nós reforçamos:
– Toda vez que você precisar fazer xixi ou cocô precisará nos avisar para irmos até ao banheiro, tudo bem?
– Tudo bem!

Pronto! Mentira, não foi tão simples! risos

No início levávamos o pequeno ao banheiro, com ou sem vontade, a cada meia hora, aproximadamente. Ficávamos la por mais ou menos 5 minutos, aguardando que alguma coisa acontecesse. Diria que essa parte não é das mais fáceis. Tem uma hora que a criança não aguenta mais ser levada ao banheiro. E ai entra a nossa criatividade: contávamos histórias, inventávamos brincadeiras, etc. Quando nada mais parecia funcionar compramos um estojo de canetinhas. O plano era: só podem ser utilizadas no banheiro! Pode pintar o vaso sanitário, o chão, as paredes, ele mesmo, a mamãe (ai)… mas só no banheiro! Ebaaaa… funcionou! Ele adorou a idéia e ir ao banheiro passou a ser divertido.

Com o tempo tudo vai ficando mais fácil… em 1 semana o Enzo já não deixava escapar durante o dia e na semana seguinte tirou a fralda da soneca. Logo não precisávamos mais leva-lo com tanta frequência ao banheiro, pois ele já conseguia pedir e segurar mais.

Quando estava com 2 anos e 6 meses (4 meses depois do desfralde diurno), saindo do banho, fomos colocar a fralda para dormir, no que o Enzo vira e fala:
– Não quero fralda. A fralda é da Soph… o Enzo usa cueca.”

E pronto… tiramos a fralda noturna também. No tempo dele, sem pressa, sem traumas! E até hoje, 3 meses depois, tivemos apenas 2 escapes, que aconteceram pela manhã, quase na hora de acordar. Nunca acordamos o pequeno para fazer xixi depois que tirou a fralda. Ele faz xixi antes de dormir e só volta a fazer la pelas 8h da manhã do dia seguinte. Detalhe importante: depois que tiramos a fralda noturna passamos a dar o leite na nossa cama, e não mais na caminha dele, e só leva-lo para dormir depois de fazer xixi e escovar os dentes.

PS. é bem verdade que, em algumas horas, ter um penico musical é interessante. Ganhamos um do dindo e da dinda e ele adora. Ajuda (MUITO) na hora de convence-lo a fazer xixi antes de dormir. Dançamos, brincamos, fazemos palhaçada e  é uma farra!

Rezando aqui para o desfralde da Soph ser assim, tranquilo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s